sexta-feira, 13 de maio de 2016

Saúde pública em Angicos está uma calamidade; afirma a Vereadora e Presidente da Câmara Nataly Felipe.

“A saúde pública no município de Angicos está uma calamidade”. A afirmativa é da Presidente da Câmara de vereadores, Nataly Felipe (PSDB), feita na tribuna do Poder Legislativo, durante sessão ordinária.

Em suas palavras, a parlamentar mais uma vez lamenta a situação a qual se encontra a saúde pública no município de Angicos. Na sua óptica, só falta o decreto, porque faz anos que se encontra em estado de ”calamidade pública”.

A legisladora conta que, tanto os usuários atendidos nas Unidades básicas de Saúde da Família, quanto os próprios profissionais dos PSF's vêm padecendo com a falta de equipamentos:

“Pasmem! Os médicos sentem dificuldades em fazer suas visitas domiciliares, devido a falta de um simples tensiômetro [medidor de pressão arterial] e, um estetoscópio [aparelho de ausculta torácica]. Além disso, ainda falta aparelhos de glicosímetro [medidor de glicose] no Centro de Saúde e dos postos. Isso chega a ser vergonhoso e constrangedor”, reclamou. Ela pesquisou na Capital Potiguar, o valor destes equipamentos e se espantou com o custo irrisório de cada item. “Fiz um orçamento e sabem quanto custa o quite, composto por um tensiômetro e estetoscópio? R$ 96,00 reais. Já um glicosímetro, custa apenas R$58,00 reais. Era para todo PSF e a Secretaria ter ao  menos um”, avaliou.

Segundo Nataly, o descaso é constante e constrangedor. Está faltando medicamentos e materiais básicos nos postos de saúde, a tomar como exemplo, um simples pacote de soro em pó. “é falta de recurso? É não!”, ponderou a Vereadora.         

Ela trouxe a tona um reflexo parcial dos recursos repassados pelo Fundo de Saúde para o município de Angicos, entre os meses de Janeiro à Março deste ano de 2016;

Fundo de Saúde – R$ 579. 424,00.
Média e alta complexidade – R$ 79.076,78
Incentivo financeiro para o fundo municipal de saúde – R$26.513,76 em Janeiro e Março.
Farmácia Básica – R$ 14.718,60 Janeiro à Março.

Somados os valores acima citados por ela, somente na área da saúde, os repasses chegam à: R$ 699.733,14 [seiscentos e noventa e nove mil, setecentos e trinta e três reais e quatorze centavos].

Tentando atribuir dificuldades do município à queda no FPM, Nataly disse que o Prefeito de Angicos teria logo tratado de publicar em seu blog a queda no repasse. Ela discordou e trouxe a realidade dos números;

Cada repasse foi devidamente citado por ela durante seu pronunciamento: CLIQUE AQUI e vejam os repasses no Portal de Transparência do Governo Federal. Apenas de Janeiro à Março, a Prefeitura de Angicos recebeu na mais nada menos que, R$ 1. 972, 437,38. [um milhão, novecentos e setenta e dois mil, quatrocentos e trinta e sente reais e trinta e oito centavos].

Janeiro/2016 - 654.804,10
Fevereiro/2016 - 819.720,07
Março/2016 - 497.913,21

Para a Vereadora, são pretextos meramente ridículos e ultrapassados, insuficientes e sem nenhuma consistência.

Nataly discordou categoricamente dos artifícios utilizados pelos gestores públicos, quando se apropriam do termo: “CRISE ECONÔMICA”, pondo simplesmente a culpa na queda do FPM [Fundo de Participação dos Municípios], o que falta é mais austeridade e compromisso com o erário do povo.

Ouça o na íntegra o pronunciamento da Presidente da Câmara, Nataly Felipe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Administrador

Minha foto
Estudante do Curso - Bacharelado em Administração, apresentador do Programa Radiofônico Celebrando à Cristo da Igreja Evangélica Assembléia de Deus em Angicos, Redator da Coluna "Giro pela Cidade", Titular do Blog Angicos Noticias e blogueiro!